LabClínicas

NOTÍCIAS - Mudança de ano faz bem para cabeça e coração - por Ana Beatriz de Melo a Del Tio

Vai fazer o que no réveillon?”. A simples pergunta que anuncia a chegada do fim do ano já começa a despertar os mais diversos sentimentos. Uns ficam mais nostálgicos e introspectivos, outros animados e esperançosos. Mas as duas reações diante da proximidade do dia 31 convergem em um ponto: é época de definir as resoluções que irão desenhar os próximos 12 meses. Para a psicóloga Sabrina Vasconcelos, a transição de um ano para outro sempre gera boas expectativas, algo que considera “terapêutico”.

por exemplo, perceberem que nem todas as suas metas foram alcançadas têm a oportunidade de refletir e de estabelecer novos objetivos - afirma. - Esse movimento contínuo é o que gera o bem-estar emocional. Movimentamos nossas angústias e não nos paralisamos.

Essa análise dos 365 dias, crucial para uma elaboração crítica e subjetiva do que foi ou não cumprido, como mencionado pela profissional, possibilita, ainda, que se estabeleça de forma mais produtiva as próximas metas. Mas, para essa reflexão não cair num vazio, é necessário que as pessoas mentalizem ou até mesmo coloquem na ponta do lápis os pontos positivos e negativos, ela ressalta.

- Atendo a uma moça que em dezembro leva ao divã sua agenda do ano que acaba, para analisar o que estamos chamando de balanço geral - diz Sabrina, que destaca algumas anotações de sua paciente, como “emagreci 6kg, sendo que estabeleci perder 10kg”.

Perder peso também está na listinha da aposentada Angela Maria Altomare, de 66 anos. Depois de um tempo em que começou a sentir fortes dores na perna, a moradora de Copacabana, distante apenas poucos metros da orla, foi forçada a se ausentar do calçadão, o que fez com que ela ganhasse alguns quilos indesejados. Para 2015, Angela quer melhorar da sua inflamação no nervo ciático para emagrecer e, assim, voltar a caminhar, algo que sempre gostou de fazer.

- Comecei a fazer shiatsu, que já me proporcionou uma melhora. Este ano, começo a fazer hidroginástica. Quando estiver bem de novo, posso voltar a andar desde o Leme até o Posto 6, como costumava fazer - lembra, acrescentando que também pretende ser mais comedida na hora de escolher o que comer, apesar de “não consumir muita besteira”.

DIETA E PRÁTICA DE EXERCÍCIOS

Uma vez que o mantra “segunda-feira começo a dieta” para muitos não passa de uma promessa feita em vão, pelos mais distintos motivos - ou desculpas -, a nutricionista Alice Amaral diz que o primeiro passo é procurar orientação nutricional, com a qual o profissional poderá elaborar uma reeducação alimentar baseada nas necessidades diárias individuais de nutrientes, acompanhada da prática de atividades físicas.

- Descubra o que lhe faz feliz. Não precisa necessariamente frequentar uma academia. Pode ser uma simples caminhada com o cachorro, andar de bicicleta com os amigos ou dançar com alguém. O importante é sempre se movimentar - afirma.

Aos 23 anos e recém-formada em Direito, Jeannine Hagnauer já tem uma ideia do que pode fazer com que ela volte a se exercitar. Este foi um ano de intensa preparação para a prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), forçando-a a manter um trajeto único - da casa para a faculdade, da faculdade para o estágio, do estágio para casa. Agora, a carioca planeja ser menos estressada no ano que vem e quer se matricular em uma aula de balé fitness. Ela, que considera estar em “sedentarismo total”, explica:

- Essa atividade voltou à moda agora e adapta alguns exercícios aeróbicos com os passos da dança, e eu sempre tive vontade de fazer balé. Não gosto muito do clima de academia, então prefiro essas atividades mais alternativas.

Beber menos e parar de fumar também são clássicos das listas de fim de ano. Nos últimos tempos, no entanto, as resoluções vêm apresentando novidades: “usar menos o celular”, “entrar menos no Facebook” e “deixar as séries de TV de lado para se dedicar mais à leitura” são algumas delas. Outras, ecologicamente corretas, levam em conta o futuro do planeta, caso de “reciclar lixo” e “economizar água”.

A psicóloga Sabrina Vasconcelos ressalta que é relevante não esquecer do altruísmo na hora de redigir as resoluções.

- O mundo cada vez mais intolerante, imediatista e virtual torna as pessoas egocêntricas e materialistas. É preciso também perdoar o grande amigo, ser mais paciente com o marido, fazer as pazes com o vizinho. Enfim, ser mais solidário e humano - alerta.

‘SUBA UM DEGRAU DE CADA VEZ’

Àqueles que deixam que a epifania se torne algo utópico, ela pede atenção. Metas mirabolantes podem ser perigosas, sim, mas, segundo a psicóloga, as desafiadoras serão bem-vindas, já que “o sujeito precisa se movimentar para o crescimento e a maturidade”. Assim, é preciso bancar os desejos genuínos, correr riscos e se responsabilizar por suas escolhas. Já a nutricionista Alice Amaral sugere traçar as metas e elaborar um plano de ação para que o objetivo não seja apenas um breve desejo.

- Coloque datas de limite e estipule metas mais fáceis de serem atingidas a curto prazo. Renove isso mensalmente e suba um degrau de cada vez - aconselha a especialista.



Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/sociedade/saude/mudanca-de-ano-faz-bem-para-cabeca-coracao-14922116#ixzz3NHQB1f9r 
© 1996 - 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.