LabClínicas

NOTÍCIAS - Frio rigoroso pode aumentar casos de infarto, alerta especialista - por Ana Beatriz de Melo A Del Tio

São Paulo e várias outras cidades da região Sudeste têm sofrido com temperaturas muito baixas nesse inverno. O frio rigoroso pode aumentar os casos de infarto, por isso, é preciso tomar precauções. O cardiologista e diretor da Socesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo) Edson Stefanini explica que, em baixas temperaturas, ocorre um aumento da atividade metabólica do organismo para ampliar a produção de calor e manter a temperatura corpórea.

— Com isso, há mais esforço do trabalho do coração, o que pode desencadear descompensação de uma insuficiência cardíaca ou mesmo precipitar quadros de infarto do miocárdio ou arritmias.

Quem mais sofre com as baixas temperatura são os moradores de rua, que ficam desabrigados e têm maior chance de desenvolverem doenças cardiovasculares. Segundo o médico, o consumo de alimentos quentes, como sopas, e o uso de agasalhos adequados são importantes para tentar reduzir os riscos à saúde e, especificamente, contribuem para a prevenção. 

— Para evitar complicações, as pessoas que ficam expostas às baixas temperaturas devem manter-se agasalhadas. Além disso, o consumo de líquidos aquecidos é uma boa opção de aquecer o organismo.

De acordo com Stefanini,  moradores de rua, muitas vezes idosos, já com cardiopatia ou não, às vezes abusam do álcool, com a falsa ideia de se proteger do frio, e acabam sofrendo hipotermia, com risco de morrer.

Cuidados no inverno

Nessa época do ano, pacientes mais idosos e aqueles portadores de cardiopatias crônicas são os que têm maior possibilidade de desenvolver complicações.

— As pessoas com maior propensão a doenças nesta época, como os idosos, cardiopatas e portadores de outras doenças crônicas, devem proteger-se das baixas temperaturas, agasalhando-se de maneira adequada, reduzindo a exposição ao frio, tomar os medicamentos de uso habitual e alimentar-se adequadamente. É importante destacar, também, o papel das vacinas contra gripe e pneumonia nesses pacientes, para se reduzir o risco de infecções pulmonares.

Stefanini recomenda que as pessoas que ficam expostas ao frio e precisam trabalhar em ambientes externos, como seguranças e carteiros, dentre outros, devem manter-se bem agasalhadas, periodicamente aquecendo-se em um ambiente mais protegido, além de cuidar da alimentação e primar por um período de sono adequado.

http://r7.com/3BvR